Dirceu defende Petrobras das acusações de Rosinha

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, defendeu a Petrobras da acusação feita pela governadora do Rio de Janeiro, Rosinha Garotinho (PMDB), segundo a qual a estatal teria escolhido uma proposta R$ 80 milhões mais cara que a da Rio Mauá-Jurong, instalada no Estado do Rio, na licitação para a plataforma PRA1, cujo contrato de construção foi assinado hoje de manhã, em solenidade no Palácio do Planalto. "Não vejo nenhuma razão para essa indisposição da governadora", disse Dirceu, em rápida conversa com jornalistas. "A Petrobras é uma empresa que tem tradição de lisura, e o principal Estado beneficiado por ela, hoje, é o Rio de Janeiro. Inclusive, os investimentos do governo federal no Rio de Janeiro estão crescendo". A acusação, feita por Rosinha no Palácio do Planalto enquanto a solenidade ainda estava em andamento, foi respondida, em seguida, também pelo presidente da Petrobras, José Eduardo Dutra, que qualificou a acusação de "irresponsável" e disse que, se a governadora entender que houve alguma irregularidade, tem a obrigação de recorrer à Justiça.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.