Dirceu defende ação no campo para reduzir problemas urbanos

O ministro-chefe da Casa Civil, José Dirceu, disse hoje que é preferível para o governo investir no campo a ter de controlar um problema social nas cidades, provocado pelo êxodo rural. Por isso, é prioridade do governo continuar as ações para reforma agrária de forma mais qualificada. Estas afirmações foram feitas no Fórum Nacional dos Secretários Estaduais de Agricultura, segundo relato feito pelo presidente da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), Luiz Carlos Guedes Pinto, presente à reunião, da qual participou também o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues.Segundo Guedes Pinto, num pronunciamento que durou 43 minutos, Dirceu reconheceu também que o País tem problemas na área de infra-estrutura, mas disse que o governo está empenhado em resolve-los, especialmente no que diz respeito à recuperação de estradas.Guedes Pinto relatou que, no encontro, Dirceu apresentou uma síntese das ações do governo no campo agrícola, com ênfase para o Plano Agrícola e Pecuário 2004/2005, já anunciado pelo governo mês passado, e apresentou informações sobre investimentos na área de logística e em rodovias. Aos secretários de Agricultura que participaram do encontro, Dirceu destacou, também, ainda conforme relato de Guedes Pinto, a importância da abertura de novos mercados para os produtos agrícolas. Dirceu teria hoje, na qualidade de presidente da recém-instalada Câmara de Política de Desenvolvimento Econômico, a primeira reunião com a cúpula do Ministério da Agricultura - o ministro Roberto Rodrigues e os secretários do Ministério - para definir as prioridades do governo na área agrícola. O encontro foi adiado porque Dirceu foi chamado pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao Palácio do Planalto. Uma nova data para a reunião ainda não foi marcada.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.