Dirceu critica oposição e defende candidato único à Câmara

O ex-ministro José Dirceu disse nesta segunda-feira, em seu blog, considerar uma "piada" a tentativa de a oposição viabilizar uma candidatura alternativa às de Aldo Rebelo (PCdoB-SP) e Arlindo Chinaglia (PT-SP) para a presidência da Câmara dos Deputados. Apesar de ridicularizar a articulação da oposição, Dirceu destacou que a base aliada deve chegar a um acordo e lançar apenas um candidato para evitar os erros já cometidos na eleição anterior, quando o PT concorreu com dois candidatos e perdeu a presidência da Casa para o deputado Severino Cavalcanti (PP-PE)."Fica evidente que o PT e os seus aliados, começando pelo PCdoB, devem chegar a um acordo e a um candidato único", afirmou Dirceu. "Caso contrário, estaremos sempre correndo o risco de uma segunda derrota na disputa pela presidência da Câmara".Dirceu não poupou críticas aos parlamentares que estão articulando a idéia de uma chamada terceira via. Segundo ele, o deputado Raul Jungmann (PPS-PE), ex-ministro do governo de Fernando Henrique Cardoso, age com "cinismo" ao defender um "presidente autônomo e republicano". "Deve estar se referindo aos presidentes eleitos nos governos FHC, Luiz Eduardo Magalhães e Aécio Neves, fora Inocêncio de Oliveira e Michel Temer, todos governistas de carteirinha", afirmou o ex-ministro.Para Dirceu, a participação de José Aníbal (PSDB-SP) nessa articulação apenas comprova sua tese de que o grupo de deputados pretende eleger um presidente alinhado com a oposição apenas para derrotar o PT e o governo. "Tudo a pretexto de moralizar a Câmara e de garantir sua independência perante o Executivo, coisa que jamais fizeram no governo FHC", opinou. "O que querem mesmo é derrotar o PT e o governo, o resto é conversa fiada".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.