Dirceu: CPI da Corrupção será aprovada esta semana

O presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), deputado José Dirceu, afirmou hoje estar convicto de que a CPI da Corrupção será aprovada na Câmara, possivelmente nesta semana. De acordo com Dirceu, a CPI só não obteve o número de assinaturas necessárias na Casa por conta do esvaziamento do plenário na quinta-feira à noite. "Ainda tinha muito deputado para assinar o requerimento, essa CPI está para sair", afirmou o presidente do PT. Ele defendeu ainda a cassação dos senadores Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) e José Roberto Arruda (PSDB-DF), envolvidos no escândalo da violação do painel de votação do Senado, e também do presidente da Casa, Jader Barbalho (PMDB-PA), que possui envolvimento no escândalo de desvio de verbas na Sudam. José Dirceu disse que Jader deveria pedir licença de seu cargo. "Já há indícios sufientes para que ele peça seu licenciamento e responda à CPI fora do cargo", afirmou. Disse ainda que não espera que o PSDB participe de uma eventual "operação abafa" entre os senadores para evitar as cassações.Sucessão - José Dirceu disse que a reunião da Executiva do PT que acontece amanhã, em São Paulo, não terá como objetivo confirmar o nome de Lula para a disputa da sucessão presidencial em 2002. "O Lula, eu e outros dirigentes do partido temos um tempo diferente do Suplicy (senador Eduardo Suplicy, que já se lançou para a prévia do partido, em outubro). O nome do PT só deve sair no final do ano ou começo do próximo, não dá para definir um nome agora com a situação que o País está", afirmou. Ele destacou que, caso seja confirmada a participação de Lula na corrida presidencial, a prévia do partido deverá contar com somente dois candidatos: Lula e Suplicy. "Se o Lula entrar, acredito que outros representantes de nome no PT não concorram ao cargo ", avaliou.Suplicy - Sobre o desentendimento pessoal que teve com o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), depois deste ter defendido a criação da CPI do Lixo - que também averiguaria contratos feitos na gestão da prefeita Marta Suplicy - José Dirceu afirmou hoje que pediu desculpas ao senador somente por conta do momento delicado em que foram feitas as suas críticas: logo após a separação de Suplicy com a prefeita. Na ocasião, Dirceu chegou a dizer que "é muito fácil posar de bom moço" e que "isto foi uma falta de solidariedade com a prefeita", referindo-se ao senador petista. Defendendo que não houve "mal estar" entre ele e Suplicy, mas apenas um "desacordo", o presidente nacional do PT adimitiu que o momento da crítica não foi adequado, "mas pelo momento, não sobre o que coloquei, pois são posições que mantenho", disse.O presidente nacional do PT participou hoje em São Paulo da inauguração do primeiro arquivo climatizado de vídeos e filmes no País, da Cinemateca. Também estiveram presentes ao evento a prefeita Marta Suplicy, o ministro da Saúde, José Serra, e o presidente do Conselho de Administração do Bradesco, Lázaro de Mello Brandão, além de diversas autoridades e empresários.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.