Dirceu ataca mídia e diz que vai provar inocência

Às vésperas do julgamento no STF, ex-ministro e deputado cassado usa sua página na internet para se defender

LEONÊNCIO NOSSA, Agencia Estado

20 de agosto de 2007 | 18h34

Às vésperas do julgamento do pedido de abertura de processo do caso mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF), o ex-ministro e deputado cassado José Dirceu usou a internet para negar que ganhe a vida como lobista de empresas e reclamar da cassação "sem provas" na Câmara, em 2005. Em sua página www.zedirceu.com.br, ele disse que não está envolvido em questões internas do PT e do governo, pois a prioridade, no momento, é se defender das acusações do Ministério Público e levar adiante a campanha pela sua própria anistia. "Não aceito a morte civil que querem me impor, nem o pré-julgamento que a mídia já fez", escreveu. "Sou inocente e vou provar."   Veja também:   Quem são os 40 do mensalão  Deputados na mira: os cassados, os absolvidos e os que renunciaram  Entenda: de uma câmera oculta aos 40 do mensalão  Veja o flagra de Marinho    Promotores do DF propõem ações contra mensaleiros A sessão no plenário do STF para decidir sobre a abertura do processo do mensalão será aberta pelo relator do caso, o ministro Joaquim Barbosa, nomeado em 2003 pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Depois do ministro, será a vez do procurador-geral da República, Antônio Fernando de Souza, defender a denúncia contra Dirceu e outros 39 suspeitos de participar do esquema do mensalão.José Dirceu afirmou, no blog, que a mídia constrói "castelos de carta" sobre seu futuro e sua suposta participação em disputas no partido. "Vou ao congresso do PT como filiado, não voltarei a ser dirigente e não sou candidato às eleições de 2010, simplesmente porque sou inelegível", ressaltou. Ele, porém, faz questão de destacar que tem "direito de fazer política". "Não abrirei mão de participar da vida política brasileira, porque nos últimos 40 anos lutei pela democracia, pela construção do PT, pela eleição de Lula e pelo governo do qual tive a honra de participar."

Tudo o que sabemos sobre:
DirceumensalãoSTF

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.