Dirceu ataca Alckmin e diz que faz campanha mesmo

O Ministro da Casa Civil José Dirceu foi ao Vale do Paraíba hoje para tentar arrebanhar votos para os candidatos do PT de Jacareí e São José dos Campos. Em São José, o PSBD governa há 8 anos e lidera as pesquisas com cerca de 18% na frente do PT, em segundo lugar. Na tentativa de diminuir a diferença, Dirceu não poupou alfinetadas ao governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), embora tenha chegado dizendo que estava "em paz". "Não quero confusão, principalmente com os tucanos, porque eles nem merecem", provocou. Mas a paz durou pouco, já que logo em seguida Dirceu disse que Alckmin é hipócrita quando diz que não participa de campanha política. Em seguida, não se conteve e afirmou que o tucano está dando a entender que só fará parcerias com os candidatos do PSBD. "O que é uma temeridade, primeiro porque é uma ilegalidade", disse. José Dirceu também acusou o governador de discriminar as cidades paulistas administradas pelo PT. "(O tratamento é) discriminatório, e eu afirmo em alto e bom som. Mas isso é como uma trombada que a gente tem que dar em partida de futebol". Sobre a participação em campanhas políticas, ele disse que o presidente Lula determinou que ninguém saísse de férias para ajudar os candidatos do PT. "A minha presença aqui é a presença de Lula. Faço campanha mesmo e com muita segurança". Lua-de-melCom um discurso bastante otimista, Dirceu, sorridente, afirmou estar em "lua-de-mel" com o Brasil. Para o ministro,as denúncias que vêm aparecendo na imprensa, como a suposta compra de apoio em Osasco denunciada pela Revista Veja, são "denuncias desmoralizadas, tentativas dos tucanos desviar as campanhas políticas". Sobre o episódio na campanha de Marta na avenida Radial e os pedidos de desculpa de Lula, disse que cabe ao Ministério Público julgar. "Estamos seguros de que não há nada de ilegal". Assegurou também que o fato não atrapalhou nem a campanha de Marta Suplicy (PT) nem a imagem do governo. "Tenho certeza de que Marta passa o Serra no primeiro turno", afirmou. "Quanto ao governo, ah... o governo está bem demais".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.