Dirceu acompanha julgamento ao lado de familiares

Ex-ministro havia recebido dezenas de amigos no salão de festas do seu prédio em São Paulo na sessão anterior; ele espera que STF aceite embargos infringentes, o que levaria a novo julgamento

José Roberto Castro, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2013 | 17h31

Ao contrário da semana passada, quando recebeu dezenas de amigos no salão de festas do seu prédio em São Paulo, o ex-ministro José Dirceu (PT) preferiu acompanhar ao lado de familiares a sessão desta quarta-feira, 11, do julgamento do processo do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). A movimentação na porta do prédio de Dirceu é pequena nesta tarde.

Um dos poucos que chegou ao local foi o advogado e amigo da família Pedro Maciel. "Esse rótulo (da corrupção) já colaram em Getúlio Vargas, em João Goulart, em Juscelino Kubitschek e agora infelizmente colaram no Zé Dirceu", disse o advogado, que reclamou da espetacularização do caso Dirceu.

Informado sobre o placar do julgamento, que indicava 3 a 1 a favor dos embargos, o advogado disse que a sua expectativa técnica "era pelo acolhimento dos embargos infringentes". José Dirceu foi condenado a 10 anos e 10 meses de prisão pelos crimes de corrupção ativa e formação de quadrilha

Mais conteúdo sobre:
MensalãoJosé Dirceu

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.