Dino ganha fôlego e vira alvo de Roseana no Maranhão

Na reta final pela disputa do governo do Maranhão, a candidatura do deputado Flávio Dino (PC do B) ganhou fôlego, colocando em risco a reeleição em primeiro turno da atual governadora, Roseana Sarney (PMDB). Com baixo índices de rejeição, o comunista passou a ser o principal alvo da campanha da peemedebista, que tenta censurar o uso dos resultados de pesquisa de intenção de voto que indica segundo turno para o governo do Estado.

AE, Agência Estado

30 de setembro de 2010 | 12h01

As últimas pesquisas têm apontado o avanço da candidatura de Dino. A possibilidade de Roseana vir a ser obrigada a disputar um segundo turno aumentou - contra o comunista ou contra o ex-governador cassado Jackson Lago, do PDT. Diante do crescimento da oposição, a coligação de Roseana, "O Maranhão não pode parar", entrou com pedido impugnação da pesquisa no Tribunal Regional Eleitoral (TRE) sob a alegação de que há irregularidades no levantamento.

O clima de animosidade entre Roseana e Dino ficou evidente no debate de anteontem à noite promovido pela TV Mirante, afiliada à TV Globo. O comunista partiu para o ataque. "Não é bateu levou. Somos uma candidatura de mudança. Não é ódio", justificou Dino. "Era esperado que todo mundo viesse em cima de mim", disse Roseana.

A tendência de subida da candidatura do comunista já havia sido detectada na semana passada, quando o Ibope apontou empate entre Dino e Lago, cada um com 21% das intenções de voto, e Roseana com 46% das intenções de voto. Desde então, a peemedebista empreendeu ataques diretos ao deputado Flávio Dino. A tática da campanha de Roseana é tentar vincular a imagem do comunista à do ex-governador José Reinaldo Tavares, antigo aliado da família Sarney. Zé Reinaldo, hoje no PSB, é candidato ao Senado na coligação de Dino.

Zé Reinaldo foi preso em 2007 durante a Operação Navalha, da Polícia Federal, que investigou pagamento de propina na contratação de obras públicas e levou à queda do então ministro das Minas e Energia Silas Rondeau, ligado ao senador José Sarney (PMDB-AP). As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.