Dimas presta depoimento na Polícia Federal

O ex-diretor da estatal Furnas, Dimas Toledo, está prestando depoimento na Polícia Federal no Rio de Janeiro, sobre a suposta lista com nome de 156 políticos que teriam recebido dinheiro de "caixa dois" de Furnas na campanha de 2002. Não há previsão para término do depoimento. O interrogatório é realizado um dia depois do ex-deputado Roberto Jefferson revelar ao Estado novos detalhes da lista de Furnas. Na entrevista, Jefferson concluiu não ter certeza sobre a existência da lista. "Não vou acusar amigos. No que me toca é verdadeira." Apesar da dúvida, o ex-deputado afirmou que Dimas o procurou em sua casa, em abril do ano passado, e propôs pagar R$ 1,5 milhão mensais ao PTB, à época presidido por ele, em troca da própria permanência no cargo. "No total eram R$ 4 milhões. R$ 1,5 milhão para o PT e R$ 1,5 milhão para o PTB, mensais, além de R$ 400 mil para as despesas de diretoria que o Dimas teria. Outros R$ 600 mil eram para o grupo dos 12 do PSDB", afirmou o ex-deputado. Segundo ele, o "grupo dos 12" recebia os recursos mediante acordo com o então ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu - hoje também deputado cassado - para que colaborasse com o governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.