Roberto Stuckert Filho|Divulgação
Roberto Stuckert Filho|Divulgação

Dilma volta a dizer que não há fundamento para impeachment

Em passagem por Salvador, presidente reafirma que tem vida 'ilibada' e que 'impeachment em si não é golpe. Ele vira golpe quando não há qualquer fundamento legal'

Elizabeth Lopes e Ricardo Leopoldo, O Estado de S. Paulo

22 de dezembro de 2015 | 13h30

São Paulo - A presidente Dilma Rousseff ressaltou em Salvador que não há fundamento legal para o processo de impeachment contra ela. "Impeachment em si não é golpe. Ele vira golpe quando não há qualquer fundamento legal", disse. "Não há fundamento legal porque tenho uma vida ilibada. Meu passado, meu presente, não há nenhuma acusação fundada contra mim", disse ao participar da inauguração de uma estação de metrô em Salvador (BA). "A Constituição é clara: se faz impeachment quando há crime de responsabilidade. Não há nenhum crime de responsabilidade. Eu sequer fui julgada."

De acordo com a presidente Dilma, a crise política é grave, pois afeta a população, especialmente com a "tese do quanto pior, melhor", que prejudica a grande maioria dos cidadãos, enquanto poucos são beneficiados. "Temos de garantir que o País volte a crescer, gerar emprego. Somos capazes de fazê-lo", destacou.

A presidente afirmou que o Brasil não vive em regime parlamentarista, no qual o primeiro-ministro pode perder o cargo caso haja desconfiança do Parlamento em relação a seu governo e novas eleições são convocadas para a formação de um novo gabinete. "No presidencialismo uma pessoa concorre a eleição. Eu ganhei 54 milhões de votos. Daí porque a Constituição prevê as formas pelas quais um presidente pode ser retirado do poder. Não gostar do presidente, querer encurtar o tempo para chegar a ser presidente, isso não está previsto na Constituição."

"O nosso País precisa de tranquilidade. Precisamos que os interesses do Brasil estejam acima dos interesses partidários e eleitorais", destacou a presidente. Dilma Rousseff fez seu pronunciamento em solenidade de inauguração da Estação Pirajá e do trecho Bom Juá-Pirajá, do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro Freitas (BA). Esta é a oitava estação a entrar em funcionamento e o investimento total no metrô de Salvador chega a R$ 5,4 bilhões.

'Reconstruir o País'. A presidente também afirmou que apesar de "dificuldades imediatas" na economia do País, o governo continuará "investindo no que faz a diferença na vida das pessoas." E, segundo ela, isso ocorre também com a melhoria do sistema de transporte urbano.

"Vamos fazer as mudanças necessárias para o País voltar a crescer", comentou Dilma. Ela destacou que o governo fará investimento na melhora de condições para a população, mesmo em tempos difíceis. Ela destacou que a terceira fase do programa Minha Casa, Minha Vida será lançada em janeiro.

De acordo com a presidente, todos os estudos para a concessão do aeroporto de Salvador foram concluídos e entregues. "Até o final do primeiro trimestre (de 2016) teremos condições de fazer a concessão", destacou.

A presidente também apontou que o governo em 2016 vai mobilizar esforços para recuperar o Rio São Francisco, especialmente para que a população do Nordeste tenha condições adequadas para lidar com a seca na região, que já dura cinco anos.

Dilma Rousseff ressaltou que o governo federal está "lutando" para reconstruir o País. Em meio a manifestações populares realizadas durante seu discurso em inauguração de uma estação de metrô em Salvador, a presidente lidou tranquilamente com a situação. "Somos democratas e convivemos coma a diferença. Deixem as manifestações continuarem porque isso é intrínseco da democracia. Lutamos muito para as pessoas poderem se manifestar quando quiserem", destacou a presidente.

A presidente em seguida falou da questão que envolve o impeachment e disse que "é golpe" quando não há fundamento na Carta Magna do País para embasá-lo. "A Constituição é clara: se faz impeachment quando há crime de responsabilidade. Não há nenhum crime de responsabilidade. Eu sequer fui julgada."

Dilma Rousseff fez seu pronunciamento em solenidade de inauguração da Estação Pirajá e do trecho Bom Juá-Pirajá, do Sistema Metroviário de Salvador e Lauro Freitas (BA). Esta é a oitava estação a entrar em funcionamento e o investimento total no metrô de Salvador chega a R$ 5,4 bilhões.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.