Dilma volta a defender importância do Pronatec

Durante cerimônia de formatura do Pronatec em São Gonçalo (RJ) nesta terça-feira, a presidente Dilma Rousseff voltou a destacar a importância de tornar o programa uma política permanente. "Assumo o compromisso de transformar o Pronatec em um programa de Estado", disse.

BEATRIZ BULLA E CARLA ARAÚJO, Agência Estado

15 de abril de 2014 | 15h57

Ela destacou que, no passado, era vedado ao governo federal investir em escolas técnicas. No seu governo, afirmou a presidente, foi tomada a decisão de investir em ensino profissionalizante. "Nenhum país, em nenhum lugar do mundo, virou desenvolvido sem ter educação técnica de qualidade", disse Dilma, que reiterou que um país com trabalhadores bem formados aumenta sua produtividade.

A presidente repetiu que há um "arco de forças" para possibilitar a formatura do Pronatec: a determinação dos alunos, o apoio da família e a parceria do governo federal com instituições e governos estaduais e municipais. Ela afirmou ainda que não só trabalhadores se beneficiam dos cursos do Pronatec, mas também pequenos e micro empreendedores.

Dilma destacou que já foram realizadas 6,3 milhões de matrículas, da meta inicial de 8 milhões. "Como é usual, disseram para nós: isso não vai dar certo", disse Dilma, que completou: "Não existe hipótese de temer o erro e de que não vai dar certo. Só erra quem trabalha e quem tenta. Por isso resolvemos correr todos os riscos para lutar pelos 8 milhões de matrícula". Ainda na tarde desta terça, a presidente vai participar de entrega de unidades habitacionais do Programa Minha Casa, Minha Vida no Rio.

Mais conteúdo sobre:
DilmaRio de JaneiroPronatec

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.