Dilma vai consolidar relação Brasil-Irã, diz Ahmadinejad

O presidente do Irã, Mahmoud Ahmadinejad, elogiou hoje a eleição de Dilma Rousseff (PT) como a primeira mulher presidente do Brasil, dizendo que a vitória dela irá impulsionar o "vistoso progresso" nos laços entre os dois países. "A relação entre o Irã e o Brasil, nos últimos anos, desfrutou de um vistoso progresso, o qual eu estou seguro continuará e será consolidado sob a sua liderança", disse Ahmadinejad a Dilma, segundo a agência de notícias Irna do governo iraniano.

AE, Agência Estado

01 de novembro de 2010 | 11h21

Dilma Rousseff, de 62 anos, que foi presa e torturada no começo da década de 1970 por sua militância na guerrilha, tornou-se ontem a primeira mulher a chegar à Presidência do Brasil e deverá suceder seu mentor e líder da esquerda Luiz Inácio Lula da Silva.

Os laços entre o Irã e o Brasil floresceram durante os governos de Lula, culminando em maio com a visita do mandatário brasileiro a Teerã, onde Brasil, Turquia e Irã assinaram um acordo que tinha como objetivo superar o impasse sobre o controverso programa nuclear da República Islâmica. As informações são da Dow Jones.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.