Dilma vai a velório de Itamar em BH na segunda-feira

A presidente Dilma Rousseff irá ao velório do ex-presidente da República e senador Itamar Franco (PPS-MG) na segunda-feira em Belo Horizonte, conforme informou hoje a assessoria do Palácio do Planalto. O velório na capital mineira acontecerá no Palácio da Liberdade, sede do governo de Minas Gerais. Antes disso, porém, amanhã, Itamar será velado em Juiz de Fora (MG), na Câmara Municipal.

AE, Agência Estado

02 de julho de 2011 | 18h58

O corpo do ex-presidente, que morreu na manhã deste sábado, depois de ter sofrido um Acidente Vascular Cerebral (AVC) durante a madrugada, permanece no hospital Albert Einstein, na capital paulista

Amanhã, por volta das 7h30, deixará o hospital, seguindo para o aeroporto de Congonhas, onde será trasladado com destino a Juiz de Fora. Segundo a assessoria do ex-presidente, o velório deve começar por voltas das 10 horas, na Câmara Municipal da cidade mineira.

Na segunda-feira pela manhã o corpo seguirá para Belo Horizonte, onde também será velado no Palácio da Liberdade. Após o velório, o corpo será cremado em Contagem, em cerimônia restrita a familiares e amigos. As cinzas voltarão para Juiz de Fora, onde começou sua vida pública.

A família recusou o oferecimento, por parte da Presidência, de um velório de chefe de Estado no Palácio do Planalto, em Brasília, bem como de um avião da Força Aérea Brasileira (FAB) para trasladar o corpo de São Paulo para Juiz de Fora.

Sarney

O presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), disse que segue para Juiz de Fora (MG) amanhã, às 10h, para participar do velório e das homenagens a Itamar, por quem disse nutrir amizade, afeto e até intimidade desde 1974. Em luto, o Senado não realizará sessão nesta segunda-feira. A pedido de Sarney, a Casa vai votar requerimento marcando data para uma sessão especial em que serão prestadas homenagens póstumas ao ex-presidente.

Para Sarney, Itamar era um nacionalista autêntico e sua morte foi uma grande perda para Minas e o Brasil. "Durante sua presença na vida pública, foi sempre um defensor marcante das causas da nacionalidade", afirmou o senador, lembrando o Plano Real como um dos feitos mais relevantes de Itamar.

"Quando presidente, coube-lhe enfrentar um período difícil da transição que estávamos atravessando na economia, foi ele quem teve a oportunidade de estabilizar economicamente o País com o Plano Real, que ele editou e foi continuado por Fernando Henrique (Cardoso) e (Luiz Inácio) Lula", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
Itamar FrancoDilmavelório

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.