Dilma terá de solucionar conflitos indígenas, diz Lula

Para o ex-presidente Luís Inácio Lula da Silva (PT), a presidente Dilma Roussef terá que tomar para si a responsabilidade de solução dos conflitos indígenas em Mato Grosso do Sul. Caso isso não aconteça, a chefe do Executivo nacional corre o risco de "colocar em jogo" a própria imagem e também a do Brasil.

LUCIA MOREL, Agência Estado

13 de novembro de 2013 | 21h09

Em evento com a militância do PT no Estado, Lula afirmou que "possivelmente a presidenta Dilma tenha que assumir ela própria o comando dessas articulações".

O risco, conforme Lula, é manchar a imagem do País. "Não é apenas a imagem do índio, a imagem do fazendeiro, a imagem de Mato Grosso do Sul. É a imagem do Brasil e da nossa presidenta que estará em jogo. Portanto, eu vou conversar com ela a respeito desse assunto".

Lula saiu de MS com a responsabilidade de reportar à Dilma o clamor de índios e produtores rurais por uma solução definitiva para o problema. "Eu vou levar para a presidenta Dilma, porque eu acho que ela vai ter que cuidar disso com carinho. Ela própria, porque já era pra ter sido resolvido há muito tempo atrás", sustentou.

O ex-presidente falou em paz e em guerra, dizendo que o ideal é que a saída para os conflitos seja tomada ainda em "tempos de paz", porque "na hora que começar a guerra vai ser muito mais difícil, muito mais caro e muito mais complicado".

Mais conteúdo sobre:
ÍndiosMato Grosso do SulLula

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.