Dilma superou desafio dos 2 dígitos, diz analista sobre pesquisa

Para Marco Antonio Teixeira, da FGV, 'fator confiança' no presidente Lula explica recorde de aprovação

Andréia Sadi, do estadao.com.br

03 de fevereiro de 2009 | 14h33

A candidata do presidente Lula à sucessão em 2010, a ministra Dilma Rousseff, superou o seu primeiro desafio na corrida presidencial: o patamar dos dois dígitos registrado em pesquisas de intenção de voto. A análise é do professor Marco Antonio Teixeira, da Fundação Getúlio Vargas, que acredita que a nova postura da ministra- incluindo a repaginada no visual e jeito de candidata- contribuiu para sua alavancada de 10,4% para 13,5% de dezembro para janeiro, segundo pesquisa CNT/Sensus divulgada nesta terça-feira, 3.  Veja também: Ouça a entrevista  Aprovação a Lula sobe a 84% e bate novo recordeVocê concorda com a pesquisa? Dilma sobe, Serra cai, mas mantém liderança para 2010  Gráfico e números da pesquisa CNT/Sensus   "Dilma já venceu o patamar de dois dígitos. E sem ser colocada como candidata, a base não trabalha assim. Só dela ter entrado nos dois dígitos, já é um indicativo (sobre a transferência de votos do presidente)". Teixeira acredita que só será possível analisar esta ação em períodos mais próximos a 2010.  O cientista político acredita ainda que Dilma cresce nas pesquisas à medida em que o presidente continua subindo. "Não tem como separar estas duas imagens. Ela é o braço-direito do presidente. Dilma é a 'mãe do PAC' não à toa', explicou.  O presidente Lula bateu todos os recordes nesta pesquisa, registrando 84% de aprovação pessoal. Para Teixeira, o "fator confiança", em meio a uma crise mundial, explica a alta porcentagem do presidente. "Há uma parcela da população que acredita no presidente. E vai esperar até o meio do ano, porque é quando (a crise) vai pesar no bolso e na mesa".  

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.