Dilma se reúne com senadores independentes para tentar recompor base

A sugestão feita a Dilma pelos parlamentares foi que ela viesse ao Congresso e explicasse à população por que o Brasil está em crise

Isadora Peron, O Estado de S. Paulo

13 de agosto de 2015 | 20h52

Brasília - Em encontro com a presidente Dilma Rousseff, seis senadores independentes cobraram da petista que ela reconheça os equívocos que cometeu na condução da política econômica do País e durante as eleições do ano passado.

A sugestão feita a Dilma pelos parlamentares foi que ela viesse ao Congresso e explicasse à população por que o Brasil está em crise. A ideia defendida é que a presidente fale por ela mesma, "sem marketing", isto é, sem a orientação do marqueteiro João Santana, que costuma dirigir os pronunciamentos de Dilma na TV.

"A ideia é que ela venha ao plenário e fale à Nação brasileira, através do Senado. É preciso falar à população, sem marketing, sem João Santana por trás", afirmou o senador Cristovam Buarque (PDT-DF), que participou do encontro.

O grupo entregou uma carta com outras seis exigências para, em tese, voltarem a apoiar o governo no Senado. Entre os pontos, estão também que a presidente garanta a continuidade das investigações da Operação Lava Jato e adote uma política de austeridade fiscal.

Diante do agravamento da crise, Dilma começou a tentar restabelecer pontes com parlamentares que já foram da base do governo, mas hoje adotam uma postura de independência no Congresso. Além de Cristovam, participaram da reunião os senadores Randolfe Rodrigues (PSOL-AP), Lídice da Mata (PSB-BA), João Capiberibe (PSB-AP), Lasier Martins (PDT-RS) e Acir Gurgacz (PDT-RO).

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseffcrisesenadores

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.