Dilma se irrita com Funasa na Amazônia

Ministra ouve queixas de índios e critica também falhas do setor elétrico

Tânia Monteiro, O Estadao de S.Paulo

13 de outubro de 2007 | 00h00

A ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, irritou-se com a ineficiência da Fundação Nacional da Saúde (Funasa) e com a burocracia do setor elétrico durante visita ao 5º Batalhão de Infantaria de Selva (BIS), na sexta-feira. Após ouvir queixas de índios ianomami da região, que pediram melhor atendimento de saúde, Dilma disse ao governador do Amazonas, Eduardo Braga (PMDB), que a situação não pode continuar como está. "A Funasa não cuida nem do lado da casa dela", indignou-se a ministra.Dilma cobrou resposta rápida do setor elétrico para o conserto de um gerador de energia de Maturacá, quebrado desde o ano passado. Descobriu que a verba de R$ 50 mil para esse conserto está no Ministério da Defesa. Eduardo Braga sugeriu-lhe "que use o Exército", se quiser mesmo resolver o problema do atendimento à saúde na região.Antes, em palestra ouvida por Dilma e pelo ministro da Defesa, Nelson Jobim, o comandante militar da Amazônia, general Augusto Heleno Pereira, alertou que "o vazio do poder do Estado" é a maior ameaça à região. Ele pediu, para 2008, um contingente de 25.000 homens.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.