O presidente nacional do PSDB, senador Sérgio Guerra (PE), negou nesta quinta-feira, 7, que o partido tenha colocado em discussão a questão do aborto e afirmou que o assunto ganhou força porque a candidata do PT à sucessão presidencial, Dilma Rousseff, "se atrapalhou". "Nós não temos nada a ver com isso. Eles que se expliquem, não é um problema da gente", afirmou o senador. Na tarde desta quinta, o tucano esteve reunido com o presidenciável do PSDB, José Serra, no comitê eleitoral do candidato na capital paulista.

07 de outubro de 2010 | 20h10

 

 

Para Guerra, faltou "presença" da petista na hora de explicar sua posição. O tucano avaliou que a candidata foi dúbia em sua fala. "Ela tem de falar, é um problema dela", cobrou. O parlamentar criticou a petista por ter evitado questões polêmicas, como as denúncias de tráfico de influência na Casa Civil, que culminaram na saída da ministra Erenice Guerra. "Não deu para se esconder na questão do aborto. (Ela) se deu mal", ironizou.

 

 

Segundo o presidente do PSDB, o assunto é pertinente porque os eleitores manifestaram interesse sobre a questão. "Ela (Dilma) não sabe o que dizer e acabaram fazendo uma confusão no ambiente deles (petistas). Porque um diz uma coisa e outro diz outra", afirmou

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.