Dilma reúne ministros para discutir ações contra pobreza

Previsão é que o novo plano seja apresentado no próximo dia 13 de janeiro

Leonencio Nossa e Lisandra Paraguassu, de O Estado de S.Paulo,

06 de janeiro de 2011 | 08h17

BRASÍLIA - A presidente Dilma Rousseff está reunida nesta quinta-feira, 6, com seus principais ministros para discutir medidas de redução da pobreza. A erradicação da miséria foi um dos pontos do discurso de posse de Dilma no primeiro dia do ano. Ainda durante o período de transição de governo, no final do ano passado, ela pediu a auxiliares um plano para melhoria de vida da população de baixa renda e uma atualização dos principais programas sociais tocados pelos ministérios. A previsão é que o novo plano seja apresentado no próximo dia 13 de janeiro.  

 

Desde o período de transição, a presidente vinha pedindo melhoria de vida da população de baixa renda  Foto: Dida Sampaio/AE

A busca de alternativas de saída dos cadastrados da lista do Bolsa Família e um reajuste no benefício do principal programa de transferência de renda do governo são algumas das propostas que estão sendo discutidas pelos técnicos e ministros da área social. A ideia do governo é agilizar programas de trabalho para os beneficiários do programa. Atualmente, 13 milhões de famílias recebem a bolsa. O valor médio do benefício é de R$ 85 e pode variar de R$ 22 a R$ 200, dependendo do número e da idade dos filhos das famílias.

Participarão do encontro hoje com a presidente os ministros da coordenação política Antonio Palocci (Casa Civil), Guido Mantega (Fazenda) e Gilberto Carvalho (Secretaria Geral) e os ministros da área social Afonso Florence (Desenvolvimento Agrário), Tereza Campelo (Desenvolvimento Social), Fernando Haddad (Educação), Alexandre Padilha (Saúde) e Carlos Lupi (Trabalho). A reunião deve se prolongar por toda a manhã. À tarde, Dilma despachará com a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.