Dilma reúne ministros e cobra monitoramento eletrônico

Na primeira reunião ministerial do ano, a presidente Dilma Rousseff anunciou ontem o fim dos fóruns de gestão do governo e cobrou a adoção de um sistema eletrônico de monitoramento dos programas até junho. Dilma admitiu que os quatro fóruns temáticos (Desenvolvimento Econômico, Infraestrutura, Desenvolvimento Social e Direitos e Cidadania), lançados com alarde no ano passado, não funcionaram. A presidente reforçou o papel da Casa Civil e disse aos auxiliares que, a partir de agora, a pasta comandada por Gleisi Hoffmann vai dirimir as divergências entre ministros.

VERA ROSA, TÂNIA MONTEIRO E CHRISTIANE SAMARCO, Agência Estado

23 de janeiro de 2012 | 23h30

Ao longo das quatro horas de reunião ministerial, a presidente deixou claro que a Casa Civil será recomposta como na época em que ela própria comandou a pasta (2005 a 2010) e cobrará metas da equipe. Embora a tensão pré-reforma ministerial pairasse no ambiente, Dilma não tocou no assunto. A presidente garantiu que os programas sociais e de infraestrutura serão preservados ao máximo dos cortes do Orçamento, mas, mesmo assim, pediu cautela nos gastos. Argumentou que todos os programas envolvendo novos recursos precisam passar pelo crivo da Junta Orçamentária. A presidente não definiu o tamanho do enxugamento, embora a equipe econômica defenda uma tesourada na faixa que vai de R$ 60 bilhões a R$ 70 bilhões.

Mais conteúdo sobre:
Dilmareunião ministerial

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.