Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE
Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dilma reúne junta orçamentária e ministros para discutir cortes de R$ 20 bi

Com Joaquim Levy, dirigente da Fazenda, Nelson Barbosa, do Planejamento, Aloizio Mercadante, da Casa Civil, entre outros ministros, presidente buscará soluções para reduções preservando programas sociais

Rachel Gamarski, O Estado de S. Paulo

14 de setembro de 2015 | 10h38

BRASÍLIA - Após um fim de semana de reuniões para definir os cortes de cerca de R$ 20 bilhões que serão anunciados, a presidente Dilma Rousseff comanda a reunião de coordenação política na manhã desta segunda-feira, 14. Com a presença de Joaquim Levy, dirigente da Fazenda, Nelson Barbosa, do Planejamento, e Aloizio Mercadante, da Casa Civil, Dilma buscará soluções para o corte preservando os programas sociais. 

Para evitar um desgaste com o Congresso, peça-chave na aprovação de um possível aumento de tributo, o governo irá conversar, antes de anunciar os cortes, com os presidentes do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), e da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ) e com o vice-presidente, Michel Temer, que está em viagem oficial à Rússia. Cunha passará a manhã no Rio de Janeiro sem compromissos oficiais. 

Além da junta orçamentária, estão presentes: Jaques Wagner (Defesa), José Eduardo Cardozo (Justiça), Antônio Carlos Rodrigues (Transportes), Aldo Rebelo (Ciência e Tecnologia), Edinho Silva (Comunicação Social), George Hilton (Esporte), Gilberto Kassab (Cidades), Gilberto Occhi (Integração), Kátia Abreu (Agricultura), Miguel Rossetto (Secretaria-geral), Ricardo Berzoini (Comunicações), o senador Delcídio do Amaral, líder do governo no Senado, o senador José Pimentel, líder do governo no Congresso, e o deputado José Guimarães, líder do governo na Câmara.

Consciente da necessidade de novas receitas para acabar com o déficit de R$ 30,5 bilhões, o governo precisará apresentar cortes antes de propor aumento de tributos. O Congresso vem reforçando a ideia de que o Executivo precisa cortar "na carne" antes de propor um aumento na carga tributária. 

Há uma expectativa de que os cortes sejam anunciados ainda nesta segunda-feira. A presidente Dilma prometeu anunciar até o fim do mês uma reforma administrativa com a redução do número de ministérios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.