Dilma resgata tema ambiental e promete atenção à reforma agrária

No momento em que Marina ganha espaço no cenário eleitoral, presidente anuncia plano de agroecologia e fala de investimento de R$ 4,5 bi no setor

Atualizada às 15h15, Daiene Cardoso e Rafael Moraes Moura - O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2013 | 13h21

Brasília - Ao lado da ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, a presidente Dilma Rousseff disse nesta quinta-feira, 17, que a execução do plano de agroecologia é compromisso do seu governo e prometeu fazer desapropriações de terras para a reforma agrária até o fim do ano.

"É possível uma produção rural compatível com o meio ambiente", afirmou a presidente durante o lançamento do Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica - Brasil Agronegócio, em Brasília. O programa era discutido no governo há dois anos e o lançamento, antes previsto para junho, foi adiado em razão das manifestações.

Agora, o anúncio ocorre no mesmo momento em que a ex-ministra do Meio Ambiente Marina Silva (PSB-AC) ganha espaço no debate eleitoral após a aliança com o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB). A temática ambiental é a principal bandeira do discurso da ex-ministra, que nessa semana fez ataques à gestão petista.

Durante o discurso dessa quinta, Dilma afirmou que o governo também pretende ampliar o Programa de Aquisição de Alimentos (PPA) - alvo de suspeitas de irregularidades apuradas pela Polícia Federal - e incentivar a produção agrícola de baixo carbono, ou seja, que envolve técnicas agrícolas sustentáveis. "Nós queremos também uma produção agroecológica", disse. Ao falar sobre os investimentos no setor, a presidente informou que foram direcionados mais de R$ 4,5 bilhões em agricultura de baixo carbono na safra de 2013-2014.

Reforma agrária. Dilma anunciou ainda que o governo prepara um decreto com 100 desapropriações para a reforma agrária até o final do ano. "Vamos seguir trabalhando juntos, cada um com sua visão, por uma agricultura sustentável", defendeu.

No início do mês, o Estado mostrou que, até esse momento, o governo Dilma não assinou nenhum decreto de desapropriação de imóvel rural para fins sociais. A falta de medidas dedicadas a essa área vem rendendo críticas frequentes de movimentos sociais à petista.

Ao final do discurso, Dilma prometeu levar creches e profissionais do Programa Mais Médicos para o meio rural.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmaplano

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.