Dilma rebate Serra e defende autonomia do BC

A pré-candidata à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, disse hoje que considera "importantíssima" a autonomia do Banco Central. Dilma fez a afirmação ao responder a perguntas de jornalistas sobre entrevista dada hoje pelo pré-candidato do PSDB José Serra à rádio CBN, no qual ele afirmou que "o BC não é a Santa Sé".

JAQUELINE FARID, Agência Estado

10 Maio 2010 | 13h46

Indagada se pretende manter a autonomia do BC, a pré-candidata do PT disse que acha "importantíssima a autonomia operacional que o Banco Central teve no governo do presidente Lula. Sempre tivemos uma relação muito tranquila com o BC".

Dilma também rebateu as críticas que Serra teria feito a uma suposta lentidão do BC em elevar os juros diante de um aquecimento forte na economia. "É uma coisa muito complicada raciocinar no ''se''. O BC tem registro de cuidado e cautela, o que foi importante na crise. Houve muitos acertos no BC durante a crise. Acho muito relativa esta discussão de se fizesse isso ou quando", disse.

Dilma foi indagada também se manteria a atual presidência do Banco Central caso venha a vencer as eleições. "Eu não farei nenhuma declaração sobre presidência do BC ou ministérios. Não é adequado. É como colocar a carroça na frente dos bois e o Brasil tem uma história passada que mostra que isso não dá sorte", afirmou.

Dilma também respondeu às críticas que o governo vem recebendo de "terrorismo eleitoral". "Qualquer ser humano pode raciocinar comigo, eu integrei o governo, coordenei os programas de governo, participei diretamente de todos os grandes projetos do governo Lula, então não há terrorismo nenhum em acharmos que quem representa melhor a continuidade somos nós", afirmou.

Ela concedeu entrevista após participar do seminário "Brazil Infrastructure Summit", no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.