Dilma promete manter política de valorização do mínimo

A candidata do PT à presidência da República, Dilma Rousseff, assumiu hoje o compromisso de manter a atual política de valorização do salário mínimo do governo Luiz Inácio Lula da Silva. Em acordo com as centrais sindicais, o governo se comprometeu a repassar ao mínimo a inflação (INPC) do ano anterior acrescida de um aumento real equivalente à variação do Produto Interno Bruto (PIB) do ano precedente. "Quero hoje fazer uma declaração. Vou continuar com a política de valorização do mínimo implantada pelo governo Lula", disse Dilma, após participar de evento com integrantes de seis centrais sindicais na capital paulista.

ANNE WARTH, Agência Estado

17 de agosto de 2010 | 13h39

Na avaliação da petista, a política de valorização do mínimo foi uma das responsáveis pelo crescimento do mercado interno brasileiro nos últimos anos. "Não a única", afirmou a candidata, citando também a ampliação do acesso ao crédito, os programas sociais e a geração de empregos nos últimos anos. Durante seu discurso para os sindicalistas, Dilma disse ter passado sua vida ouvindo que o aumento do salário mínimo era uma política que impedia o controle da inflação.

"O governo do presidente Lula comprovou que isso era possível", disse ela, citando a criação de 14 milhões de empregos formais nos últimos sete anos e meio de governo. "Até pouco tempo atrás, sabem o que acontecia? O Brasil vivia de bico", afirmou, referindo-se aos empregos temporários. "Se tem uma categoria que sabe o que é o desemprego são os trabalhadores que curtiram um desemprego pesado na época que nos antecedeu, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.