Dilma: prioridade é aumentar oferta de água no Nordeste

A presidente Dilma Rousseff disse nesta terça-feira que anunciará várias medidas de combate à seca na região Nordeste. A primeira delas, disse, é "aumentar a oferta de água". "Nós daremos condições para o exército brasileiro melhorar toda sua estrutura logística", afirmou a presidente, após falar sobre a operação de carros pipa coordenada pelo exército. A presidente fez as declarações em reunião do conselho deliberativo da Sudene, em Fortaleza (CE)

BEATRIZ BULLA E GUSTAVO PORTO, Agência Estado

02 Abril 2013 | 11h53

Além disso, a presidente falou sobre o compromisso de entregar até julho 130 mil cisternas e construir outras 240 mil cisternas ainda neste ano. "Agora acrescentamos mais 40 mil. São estratégicas nesse momento que vamos ter de iniciar 2 processos: salvar os rebanhos existentes e nos preparar a ter de fato uma estrutura mais robusta", disse a presidente.

A presidente afirmou que o governo repassou aos Estados da região R$ 60 milhões para recuperação e perfuração de poços. "Vamos manter as medidas de apoio aos produtores rurais até que não haja mais estiagem, ou seja, o nosso prazo agora deixou de ser datado para ser até quando houver estiagem."

Ela falou ainda sobre a venda de 360 mil toneladas de milho a preço subsidiado na região.

"Consultamos todos os Estados sobre a demanda estimada de milho", disse Dilma. Ela falou que serão vendidas outras 340 mil toneladas nos meses de abril e maio. "Fizemos levantamento preliminar e sabemos que essas 340 mil toneladas dão no máximo para dois meses. Iremos tomar as previdências cabíveis para fazer esse transporte de milho."

Mais conteúdo sobre:
DILMA PACOTE SECA

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.