Dilma prevê relacionamento de 'nível elevado' com Maduro

Em declaração à imprensa durante a visita oficial do presidente da Venezuela, Nicolás Maduro ao País nesta quinta-feira, 8, a presidente Dilma Rousseff destacou que, apesar da crise econômica, o comércio do Brasil com a Venezuela ultrapassou a marca histórica dos US$ 6 bilhões em 2012. Para Dilma, a parceria entre os dois países é estratégica.

RAFAEL MORAES MOURA E LISANDRA PARAGUASSU, Agência Estado

09 de maio de 2013 | 19h57

"Tive oportunidade de conviver com Maduro durante os anos em que atuou como chanceler do presidente Chávez. Sei de suas qualidades, sei que é um grande amigo do Brasil. Estou certa de que manterei com o presidente Maduro um nível elevado do relacionamento, a exemplo do relacionamento que mantive durante os anos que dele desfrutei com o presidente Chávez", discursou Dilma.

A presidente disse que os dois países devem aprofundar os projetos de cooperação existentes em áreas como alimentos, energia elétrica, petróleo, agricultura, desenvolvimento social e habitação. "Concordamos no interesse de ambos os países em diversificar nossa troca de experiência para abranger áreas como cultura e juventude", prosseguiu.

Na avaliação da presidente, o Mercosul viverá um segundo ciclo de expansão do comércio quando a Venezuela assumir a presidência temporária do bloco, no segundo semestre. "Pela primeira vez, um país ao norte do Brasil assumirá a sua presidência ''pro tempore''. Estou certa de que isso permitirá ao bloco viver um segundo ciclo de expansão do comércio e de integração das cadeias produtivas, beneficiando em especial o Norte e o Nordeste do Brasil e o sul da Venezuela", afirmou. Esta é a primeira viagem oficial de Maduro ao Brasil desde que se elegeu presidente, no mês passado.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaMadurovisita

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.