Dilma pede voto no modelo que ‘sempre valorizou o Nordeste’

Sem citar o nome do rival, ela defende a comparação entre o governo Lula e o do PSDB, que ‘deu as

Lauriberto Braga, Juscelino Souza e Tiago Décimo, de O Estado de S.Paulo

26 de outubro de 2010 | 20h02

FORTALEZA - A candidata à Presidência da República pelo PT, Dilma Rousseff, enfrentou no início da tarde de ontem, em Fortaleza, um sol de 36 graus para falar por apenas cinco minutos. Em cima de uma picape, a candidata falou para cerca de 5 mil pessoas, segundo a Polícia Militar, na Praça do Ferreira, centro da capital cearense.

 

No discurso, a petista agradeceu os 66% dos votos que obteve no primeiro turno no Ceará e fez comparações com o adversário José Serra (PSDB). Sem citar o nome do tucano, Dilma disse que no domingo haverá dois modelos para escolher. "Um que sempre deu as costas para o Nordeste e outro que sempre valorizou essa região."

 

Afirmando estar emocionada com a recepção em Fortaleza, a petista disse que jamais esquecerá a acolhida. "Essa emoção é muito forte e espero que seja traduzida na nossa eleição no próximo domingo", disse, sendo aplaudida por militantes que, em sua maioria, portava bandeiras vermelhas e adesivos com a inscrição "Serranão mamãe".

 

Ao lado do governador reeleito do Ceará, Cid Gomes (PSB), da prefeita de Fortaleza, Luizianne Lins (PT) e do deputado federal Ciro Gomes (PSB), Dilma percorreu 200 metros de ruas laterais à praça, na carroceria da picape. No trajeto de 15 minutos, ela acenou para a multidão que queria chegar perto dela. Um forte esquema de segurança foi armado e nem à imprensa foi permitido chegar perto da candidata.

 

Tumulto. A passagem de Dilma por Fortaleza foi marcada por um pequeno tumulto ao lado da Praça do Ferreira. Quando a candidata chegou a multidão se aglomerou em volta da picape em que ela estava. Houve empurra-empurra e pelo menos 15 pessoas passaram mal devido ao forte calor e por terem sido derrubadas. Ninguém chegou a ser ferir.

 

Depois da visita relâmpago ao Estado, Dilma, seguiu para Caruaru, no agreste pernambucano, sem falar com os jornalistas. O dia de campanha terminaria em Vitória da Conquista, sudoeste baiano, Como a programação inicial atrasou, militantes do PT e de partidos coligados participaram de uma carreata com o governador Jaques Wagner do aeroporto até a Praça Barão do Rio Branco, onde haveria um comício. Cerca de 5 mil pessoas se concentraram no aeroporto para esperar Wagner e os senadores eleitos na sua chapa Walter Pinheiro (PT) e Lídice da Mata (PSDB).

 

O prefeito de Vitória da Conquista, Guilherme Menezes, e 40 gestores de municípios da região mobilizaram os militantes para a festa - uma espécie de resposta ao comício que o candidato tucano realizou na semana seguinte ao primeiro turno. Serra esteve na cidade para agradecer pelos votos recebidos.

 

Dilma participaria hoje de um debate promovido pelo SBT Nordeste, mas a assessoria de imprensa da TV Aratu, que seria sede do encontro, informou que o evento foi cancelado devido à desistência da candidata petista. O confronto seria o penúltimo da campanha.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.