FELIPE RAU/ESTADÃO
FELIPE RAU/ESTADÃO

Dilma pede que não haja violência ‘de lado nenhum’

Questionada se faria convocação para que militantes do PT não saiam às ruas, presidente disse que todos têm direito de manifestar

VICTOR VIEIRA e JOSÉ ROBERTO GOMES, O Estado de S. Paulo

12 de março de 2016 | 21h47

A presidente Dilma Rousseff fez neste sábado, 12, um apelo para que não haja violência nos atos previstos para este domingo, 13. Em Franco da Rocha (SP), após sobrevoar a região mais afetada pelas fortes chuvas que atingiram a área metropolitana, a presidente foi questionada se faria uma convocação para que os militantes do PT não saiam às ruas neste domingo.

“Meu querido, eu faço um apelo para que não haja violência. Eu acho que todas as pessoas têm direito à rua. Agora, a violência ninguém tem direito de fazer, ninguém, lado nenhum”, afirmou Dilma, que visitou a região acompanhada do governador Geraldo Alckmin (PSDB). 

Por meio do Facebook, a presidente também comentou os protestos marcados para este domingo. "Para mim é muito importante a democracia no nosso País, então eu acredito que o ato de amanhã deva ser tratado com todo o respeito. Não acho que seja cabível, e acho que é um desserviço para o Brasil, qualquer ação que constitua provocação, violência e atos de vandalismo de qualquer espécie."

Dilma voltou a fazer um "apelo pela paz e pela democracia" e comparou o atual momento com o da ditadura. "Vivi num momento em que, se você manifestasse, você ia preso; se você discordasse, você ia preso. Nós, agora, não. Nós vivemos um momento em que as pessoas podem se manifestar, podem externar o que pensam, e isso é algo que nós temos de preservar". 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.