Dilma pede engajamento para erradicar extrema pobreza

No encerramento de seu discurso na XIV Marcha Nacional dos Prefeitos, a presidente Dilma Rousseff exortou os prefeitos a se engajarem no programa "Brasil Sem Miséria", voltado à erradicação da pobreza extrema que o governo lançará no segundo semestre.

ANDREA JUBÉ VIANNA, Agência Estado

10 de maio de 2011 | 20h34

Dilma pediu a "participação ativa e engajada" de todos os prefeitos para que o País consiga superar a extrema pobreza. Ela disse que o governo está comprometido a trabalhar para que toda a população tenha acesso a um conjunto de infraestruturas sociais que elimine as condições de miséria e permita uma vida digna aos brasileiros. Ela citou como exemplo de iniciativa bem-sucedida o programa Luz para Todos, que levou eletricidade a 99% da população brasileira.

"Um Brasil sem miséria vai exigir mobilização de todos nós e da sociedade brasileira. Podemos chegar lá, é nosso dever não apenas tentar, mas empenharmo-nos para conseguir", apelou Dilma. A meta do programa, que será coordenado pela ministra do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, Tereza Campello, visa a erradicar a extrema pobreza até 2014. O Censo Demográfico do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) contou 16,2 milhões de pessoas vivendo abaixo da linha da pobreza, com R$ 2,30 por dia, sem emprego, renda, acesso à saúde e educação, ou condições dignas de sobrevivência.

A presidente encerrou sua participação no evento garantindo que manterá o diálogo com as prefeituras do País. "Reafirmo meu compromisso de manter uma relação de respeito ao prefeito e à prefeita, diálogo permanente, direto e republicano com todos, independente do vínculo partidário", disse. "Podem contar comigo e com todo o meu governo", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.