Dilma pede direito de resposta em propaganda de Marina

Dilma pede direito de resposta em propaganda de Marina

A defesa do PT pede liminar para impedir a coligação de Marina, a Unidos pelo Brasil, de reapresentar a inserção questionada

BEATRIZ BULLA, Estadão Conteúdo

29 de setembro de 2014 | 20h25

A Coligação Com a Força do Povo, da presidente e candidata à reeleição, Dilma Rousseff (PT), protocolou no Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na noite desta segunda-feira, 29, pedido de direito de resposta contra propaganda de Marina Silva (PSB) que fala em problemas na Petrobras e cita indiretamente a compra da refinaria de Pasadena (EUA).

A defesa do PT pede liminar para impedir a coligação de Marina, a Unidos pelo Brasil, de reapresentar a inserção questionada e, no mérito, direito de resposta em tempo não inferior a um minuto por peça considerada ofensiva.

Na inserção um narrador questiona: "Nas mãos de Dilma e do PT podemos dizer que a Petrobras: Ficou valendo a metade do que valia? Ficou com uma dívida quatro vezes maior do que tinha? Está envolvida em denúncias de corrupção? Comprou uma refinaria velha por 28 vezes o que valia? Ou todas as anteriores? Está na hora de mudar", para então apresentar a candidata Marina Silva como a "alternativa correta".

A inserção foi ao ar nesse domingo, 28, na televisão, no período noturno. De acordo com a defesa da petista, as afirmações veiculadas são inverídicas "com a finalidade de ofender a dignidade e a honra" de Dilma. O caso foi distribuído ao ministro Admar Gonzaga.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.