Dilma pede apuração do assassinato de índio no MS

Preocupada com a repercussão do assassinato de uma liderança indígena no Mato Grosso do Sul, a presidente Dilma Rousseff convocou nesta sexta-feira uma reunião no Alvorada para pedir apuração do caso. Orientada pelo Planalto, a Funai divulgou nota lamentando a falta de diálogo e a reintegração de posse.

DAIENE CARDOSO, Agência Estado

31 de maio de 2013 | 21h05

Participaram da reunião os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça), Gleisi Hoffmann (Casa Civil), Gilberto Carvalho (Secretaria Geral da Presidência), e o Advogado-Geral da União, Luís Inácio Adams. Na reintegração foi morto o índio Oziel Gabriel, de 35 anos.

Tudo o que sabemos sobre:
reintegraçãoíndiomorteDilma

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.