Dilma pede ação para conter a crise no governo

Para retirar o governo da inércia provocada pela crise que atingiu o ministro-chefe da Casa Civil, Antonio Palocci, a presidente Dilma Rousseff desencadeou ontem uma operação para tentar mostrar que o governo "está trabalhando" e não foi contaminado pelas denúncias.

AE, Agência Estado

24 de maio de 2011 | 08h59

Em reuniões com ministros representantes de todos os partidos da base aliada e líderes do Congresso, Dilma pediu unidade em torno da proposta do governo na votação do Código Florestal e pressa na conclusão do Plano Brasil Sem Miséria. A ideia é apresentar uma agenda positiva para se contrapor ao noticiário desfavorável.

Enquanto isso, o governo ganha tempo para que Palocci apresente as explicações solicitadas pela Procuradoria-Geral da República. Segundo interlocutores, Dilma disse esperar que elas sejam claras e suficientes. A ausência de fatos novos no noticiário ontem foi comemorada dentro do governo.

Um dos "três porquinhos" que comandaram a campanha presidencial de Dilma, Palocci enriqueceu em 2010, após a eleição. O governo teme que, se o ministro for atingido, o mandato da presidente também possa ser abalado. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.