Dilma passará carnaval em base da Aeronáutica no RN

A presidente Dilma Rousseff deverá desembarcar amanhã em Natal (RN) para passar o carnaval descansando ao lado da filha, Paula, e do neto, Gabriel, além da mãe, Dilma Jane, no hotel de trânsito do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno (CLBI), que pertence à Aeronáutica.

TÂNIA MONTEIRO, ENVIADA ESPECIAL, Agência Estado

03 de março de 2011 | 20h00

Esta é a primeira vez que um presidente decide descansar nestas instalações. A escolha foi feita pela privacidade permitida no local, onde a presidente poderá descansar e tomar banho de mar, com total privacidade, sem ser importunada por curiosos.

Inicialmente, a presidente Dilma pensou em ir para a ilha de Fernando de Noronha, onde a Aeronáutica também dispõe de uma casa e por onde já passaram os ex-presidentes Fernando Henrique Cardoso e Luiz Inácio Lula da Silva. Foi avisada, no entanto, que a ilha é pequena e que, no caso de qualquer movimentação, poderia facilmente ser alcançada pelo público e, principalmente, pela imprensa. Os presidentes costumavam se hospedar também na Restinga de Marambaia, no Rio de Janeiro, e no hotel de trânsito do Guarujá, onde Lula descansou após deixar o Planalto.

A Aeronáutica providenciou algumas melhorias na Barreira do Inferno, inclusive instalando equipamentos telefônicos e de informática que ampliaram a segurança presidencial e permitem que Dilma tome decisões de lá, caso haja alguma necessidade. Os jornais locais informam que a reforma teria custado cerca de R$ 8 milhões, mas nem o Planalto, nem a Aeronáutica confirmam. A reforma estaria sendo realizada há um ano e incluiu a construção de um quiosque na praia, com churrasqueira.

O centro, que normalmente é aberto à visitação da população e turistas, estará fechado para esta atividade no feriado de carnaval por causa da presença da presidente Dilma. O local da base é vizinho ao campo de dunas do bairro de Ponta Negra, região denominada "Barreira do Inferno" por pescadores porque, ao entardecer, os reflexos do sol tornam as falésias vermelhas como fogo.

O Centro de Lançamento da Barreira do Inferno da Força Aérea foi fundado em 1965 e tornou-se a primeira base aérea de foguetes da América do Sul. Nesta base já foram lançados mais de 400 foguetes.

Mais conteúdo sobre:
DilmacarnavalNatalAeronática

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.