Dilma passa pela última sessão de quimioterapia

A ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, realizou ontem sua quarta e última sessão de quimioterapia, para tratar um câncer no sistema linfático detectado em abril. Ao comemorar o fato de ter sido liberada pelos médicos de outras duas sessões previstas inicialmente, ela disse que superou mais um desafio.Apesar de reconhecer que a ministra segue em tratamento, o oncologista Paulo Hoff disse que ela pode ser considerada "curada", já que não há mais vestígios da doença. "Saio extremamente satisfeita e feliz", disse Dilma, ao deixar ontem o Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. Questionada sobre o que fará quando deixar de sentir os efeitos colaterais, ela emendou: "Tudo."Dilma dará início dentro de um mês à fase final de tratamento, com radioterapia. O procedimento, segundo Hoff, já estava previsto e permitirá "esterizilizar" a área em que o tumor foi encontrado. As sessões duram apenas 20 minutos, mas vão demandar um ajuste significativo na agenda da ministra. Isso porque elas serão realizadas durante um mês, cinco dias por semana, em São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.