Divulgação - 07/03/2011
Divulgação - 07/03/2011

Dilma participa de soltura de tartarugas em base no RN

A presidente passa o feriado com a família no Centro de Lançamento da Barreira do Inferno

Tânia Monteiro, enviada especial, Agência Estado

07 de março de 2011 | 20h02

PARNAMIRIM (RN) - Alojada no hotel de trânsito do Centro de Lançamento da Barreira do Inferno, onde descansa com sua filha, genro e neto, desde a última sexta-feira, a presidente Dilma Rousseff participou nesta segunda-feira, 7, da soltura de 100 filhotes de tartaruga-de-pente. Por ser uma área protegida, a praia da Barreira se tornou local essencial para essa espécie de tartaruga.

 

A presidente assistiu, ainda segundo informações da Presidência, a uma apresentação sobre as atividades desempenhadas pelo Centro de Lançamento, órgão de execução do Programa Espacial Brasileiro.

 

Do lado de fora, a segunda-feira de Carnaval foi mais um dia de muita movimentação de turistas e curiosos na porta de entrada da Barreira do Inferno. Algumas pessoas que queriam conhecer o centro, ponto turístico da cidade, ficaram frustrados porque ele está fechado para visitas, por causa da presença da presidente Dilma no local.

 

Pelo terceiro dia consecutivo, Dilma preferiu se manter isolada. Pela manhã, a presidente da Casa do Menor Trabalhador, irmã Lúcia Montenegro, tentou, por 40 minutos, ser recebida por Dilma, sem sucesso. Insistente, a freira, que estava acompanhada de um padre, da irmã e de um advogado, só deixou o local depois que um militar a avisou, definitivamente, que não adiantava insistir porque nem a governadora do estado, Rosalba Ciarlini (DEM), foi recebida por ela.

 

O maratonista Carlos Dias também foi barrado na tentativa de visitar a presidente Dilma. Dias está percorrendo o Brasil em campanha em busca de doações para ajudar crianças com câncer.

 

Na segunda-feira foi a vez da prefeita de Natal, Micarla de Sousa (PV), enviar de presente para a presidente Dilma um quadro, com o desenho de uma mandala, feito por Ivo Maia, de Ceará-Mirim e o livro "Vem Viver Natal", de Canindé Soares. No sábado, a governadora tinha mandado uma cesta de flores e comidas típicas e um assessor presidencial ligou, em nome de Dilma, agradecendo a gentileza, o que demonstrou a disposição da presidente de não querer falar com ninguém.

 

No centro de lançamento de foguetes continua valendo a proibição para militares e civis que lá entram para trabalhar de deixar na portaria celulares e câmeras. A decisão da Presidência da República é para evitar que qualquer imagem da presidente em descanso com a família seja divulgada.

 

O local continua isolado e protegido não só pelo mar, mas também por terra. O espaço aéreo em cima da barreira do Inferno também está fechado, para evitar qualquer sobrevoo ao local. Ninguém que não esteja na escala de trabalho pode entrar na área militar. O bom tempo colaborou para que a presidente Dilma pudesse aproveitar a praia, longe de jornalistas e curiosos.

 

A previsão é de que a presidente Dilma volte para Brasília nesta terça-feira, 8, no final da tarde.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmacarnavaltartarugas

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.