Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

Dilma negocia redução de pastas em meio a viagem do vice com ministros

Michel Temer viaja neste sábado, 12, para Moscou (Rússia) e Varsóvia (Polônia)

Erich Decat, O Estado de S. Paulo

12 de setembro de 2015 | 19h36

O vice-presidente da República, Michel Temer, comanda comitiva de ministros que viaja neste sábado, 12, com destino a Moscou (Rússia) e Varsóvia (Polônia), com previsão de retornar ao País apenas no fim da próxima semana. A ausência de Temer e de oito ministros, sendo seis do PMDB, ocorrerá no mesmo período em que a presidente Dilma Rousseff e integrantes da equipe econômica tentam intensificar as negociações com os partidos da base aliada para se chegar a um acordo sobre corte no número de ministérios. 

A redução dos espaços na Esplanada deve deixar ainda mais conturbada a relação do Palácio do Planalto com aliados. Na contramão do discurso de austeridade ensaiado pelo governo, lideranças da base se reuniram anteontem com o ministro da Casa Civil, Aloizio Mercadante, para tentar acelerar as discussões em torno da ocupação de cargos do segundo e terceiro escalões do governo federal. "Ela [Dilma] já tem um desenho feito. Claro que está discutindo porque essas mudanças têm reflexo políticos também", considerou o líder do governo, Delcídio Amaral (PT-MS), na véspera da viagem da comitiva de Temer.

Na linha de potenciais pastas que podem ser extintas estão secretarias com status de ministérios, atualmente conduzidas por representantes do PMDB. "Esse é um assunto que tem relação direta a uma decisão da presidente. Trabalho como se fosse o meu primeiro dia", afirmou ao Estado o ministro-chefe da secretaria de Portos, Edinho Araújo, que integrará a comitiva. Durante a missão oficial, ele deve assinar, na próxima quinta-feira, 17, na capital polonesa de Varsóvia, o termo de Cooperação Bilateral com o governo da Polônia nas áreas da indústria naval, portos e logística. 

"Também não acredito que haverá mudança no Turismo. Acho que é uma área em que neste momento de crise pode gerar emprego e renda, ainda mais tendo em vista os grandes eventos como as Olimpíadas de 2016", ressaltou o ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves. Segundo ele, na passagem pela Rússia será lançado um portal de turismo com enfoque nas diversidades turísticas do Brasil. Além disso, também está prevista a abertura de um escritório da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo). "A ideia é conquistar o turista russo e num próximo passo os chineses. Vamos buscar esses mercados", ressaltou Alves. Tanto ele quanto Edinho fazem parte da cota de Michel Temer na Esplanada. 

Além dos dois também acompanham o vice-presidente os ministros da sigla Eduardo Braga (Minas e Energia), Kátia Abreu (Agricultura), Helder Barbalho (Pesca e Aquicultura) e Eliseu Padilha (Aviação Civil). Também faz parte do grupo o petista Jaques Wagner (Defesa) e do petebista Armando Monteiro (Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior). O primeiro ato da comitiva será um encontro nesta segunda-feira, 14, com o presidente da Duma (Câmara Baixa), Serguei Naryshkin. No mesmo dia haverá visita ao Pavilhão do Brasil na "World Food Moscow 2015". No cronograma dos brasileiros, entre outros encontros, também está a realização de audiência com o primeiro-ministro da Rússia, Dimitri Medvedev?, e, em Varsóvia, um encontro de trabalho com a primeira-ministra da Polônia, Ewa Kopacz.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.