Dilma nega briga entre ministros

Em meio à queda de braço entre os defensores do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), do qual é gestora, e a ala ambientalista do governo, a ministra Dilma Rousseff (Casa Civil) negou ontem que haja qualquer desavença com os colegas da Esplanada dos Ministérios. Sem se alongar no assunto, a ministra minimizou o clima de disputa e disse que há apenas uma diferença de ótica, natural de qualquer administração. "Essa briga não existe. Essa briga é apenas das diferentes óticas que todo governo tem. Cada um com a sua ótica. Agora, tem de ter um entendimento", afirmou a ministra-chefe da Casa Civil. Dilma fez a declaração ontem à tarde, numa conversa rápida com os jornalistas que a aguardavam na saída do Hospital Sírio-Libanês, em São Paulo. A chefe da Casa Civil esteve na capital paulista para se submeter a mais uma sessão de quimioterapia, como parte do tratamento contra um câncer detectado em seu sistema linfático. Anteontem, ao divulgar balanço do PAC, Dilma viu o titular do Meio Ambiente, Carlos Minc, reduzir a artilharia contra Alfredo Nascimento (Transportes) quanto à obra da BR-319, que liga Manaus a Porto Velho.Ontem, Dilma também evitou falar sobre o papel do presidente Luiz Inácio Lula da Silva no gerenciamento do conflito. Questionada se o presidente não está incomodado com a "confusão", a ministra emendou: "O presidente exerce a sua condição governando, dando a linha do governo".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.