Dilma não fixou valor dos cortes no orçamento, segundo Lobão

Ministro de Minas e Energia diz que houve recomendação para que cada pasta indique valor que pode economizar

Lu Aiko Otta, da Agência Estado

14 de janeiro de 2011 | 19h01

BRASÍLIA - O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, disse nesta sexta que não foram estabelecidos valores para os cortes no orçamento de 2011 durante a primeira reunião ministerial de Dilma. Segundo Lobão, houve apenas uma recomendação da ministra do Planejamento, Miriam Belchior, no sentido de que cada pasta analise e proponha o valor de quanto pode economizar. "Será a primeira bordoada. Eu vou propor um corte de R$ 0,10", brincou Lobão.

 

 Veja também:

link Novo salário mínimo será de R$ 545, afirma ministro

link Dilma dividiu ministérios em grupos temáticos, diz Mantega

link Média de crescimento anual no governo Dilma será de 5,9%, diz Fazenda

link Classe C deve reunir 56% da população brasileira em 2014

Ele informou, ainda, que a presidente Dilma Rousseff falou sobre as nomeações no segundo escalão. Ela recomendou que os postos das agências reguladoras sejam ocupados por técnicos. Nas estatais, a orientação é que sejam pessoas com conhecimento na área, mas não obrigatoriamente que sejam técnicos. A presidente também recomendou aos ministros que mantenham um bom diálogo com o Congresso Nacional. Para demonstrar coesão na aliança política que compõe o governo, Dilma passou a palavra ao vice-presidente Michel Temer, do PMDB. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.