Dilma: mensagem é oportunidade para reafirmar diálogo

A presidente Dilma Rousseff iniciou na tarde de hoje a leitura da mensagem do Executivo ao Congresso reafirmando o interesse no diálogo entre os poderes. Dilma falou com firmeza sobre as conquistas do povo brasileiro, que assistiu a um transição democrática no país e lembrou que a Constituição de 1988 e as eleições livres consolidaram a vivência democrática. Esse ambiente democrático permitiu ainda, segundo Dilma, a consolidação do desenvolvimento econômico e social.

LUCI RIBEIRO, AYR ALINSK E BEATRIZ ABREU, Agência Estado

02 de fevereiro de 2011 | 16h47

No discurso, a presidente garantiu que seu governo dará oportunidades iguais a todos. "Todos temos responsabilidade no fortalecimento da democracia começando pela erradicação da pobreza", disse. Ela comentou que não se trata de uma missão que se restrinja ao governo, mas a todos os brasileiros."O Brasil precisa criar condições para acabar com a miséria e para isso conta com a participação de todos", disse.

A eliminação da pobreza extrema para todos os brasileiros, na avaliação de Dilma, não é resultado de "um ato de voluntarismo", mas de uma política macroeconômica de crescimento econômico. Com ênfase, disse que o crescimento ampliou a rede de proteção social e lembrou que no governo passado mais de 27 milhões de brasileiros obtiveram renda maior e superaram a linha da pobreza.

Dilma reafirmou a política macroeconômica do País, citou a necessidade de controle fiscal e garantiu que seu governo manterá a estabilidade econômica como "valor absoluto". "Não permitiremos em nenhuma hipótese a volta da inflação", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaCongressomensagem

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.