Dilma, Lula e FHC não comentam declarações de Sauer

O Palácio do Planalto não quis se pronunciar oficialmente ontem sobre as declarações do ex-diretor da Petrobrás Ildo Sauer.

O Estado de S.Paulo

04 de setembro de 2014 | 02h00

Nos bastidores, os assessores da presidente Dilma Rousseff classificaram Sauer como "um poço de mágoa mais profundo que o pré-sal". O Instituto Lula informou que o ex-presidente, também mencionado por Sauer, não iria comentar a entrevista. Auxiliares do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso informaram que ele está nos EUA e um contato com ele seria impossível.

No Congresso, o líder do PPS na Câmara, Rubens Bueno (PR), defendeu a aprovação de convocação, na CPI Mista da Petrobrás, do ex-diretor. "A entrevista de Sauer reforça o que já alertávamos na CPMI. O governo do PT aparelhou a maior empresa brasileira para que ela pudesse servir aos interesses escusos do PT e de seus aliados. Não é à toa que a empresa sofreu enormes prejuízos e perdeu 50% de seu valor de mercado desde 2010." / TÂNIA MONTEIRO, RAFAEL MORAES MOURA e RICARDO BRITO

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.