Dilma lança edital para hidrovia Araguaia-Tocantins

A presidente Dilma Rousseff destacou nesta quinta-feira, 20, em discurso em Marabá (PA), a importância da hidrovia Araguaia-Tocantins para o Brasil. "Além de ser importante aqui, é um símbolo do que pode ser hidrovia no nosso País", afirmou, no lançamento do edital Pedral do Lourenço, que permitirá a navegabilidade do Rio Tocantins durante todo o ano.

BEATRIZ BULLA, Agência Estado

20 de março de 2014 | 15h17

Segundo ela, a estratégia por trás dos investimentos na hidrovia é escoar a produção agrícola pela Região Norte, além de integrar o maior número de modais de transporte possível, "enfatizando a hidrovia". Dilma acrescentou que 54% da produção de grãos do País está localiza do Centro-Oeste para cima, mas grande parte do escoamento desse volume se dá do Centro-Oeste para baixo, nos portos de Santos e Paranaguá.

Além disso, Dilma também considerou a possibilidade de escoar a produção da Zona Franca de Manaus, no Amazonas, por hidrovia. "Tem algo que também pode sair por aqui: a produção da Zona Franca de Manaus, que tem essa possibilidade de viabilizar e garantir o seu escoamento. O custo de transporte por hidrovia é muito mais barato. É 50% mais barato que uma rodovia", disse, acrescentando que hidrovia é um dos modais mais eficientes.

A presidente ainda falou que o desenvolvimento do Brasil começou no litoral, mas que esse é o século da interiorização. "O Brasil começou pelo litoral, mas este século é o da interiorização, é o século do Centro-Oeste, é o século do Norte", afirmou.

Ainda hoje, Dilma visita Imperatriz, no Maranhão, para inauguração de fábrica de celulose da Suzano.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaPAhidrovia Araguaia-Tocantins

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.