ANDRE DUSEK/ESTADAO
ANDRE DUSEK/ESTADAO

Dilma lamenta a morte de Marco Aurélio Garcia: 'Meu querido amigo'

Garcia foi assessor especial da Presidência de Dilma e Lula e presidente do PT; ainda não há informações sobre o enterro

Marianna Holanda, O Estado de S.Paulo

20 de julho de 2017 | 17h18

A ex-presidente Dilma Rousseff lamentou a morte do assessor especial da Presidência da República para Assuntos Internacionais na gestão petista e ex-presidente do PT, Marco Aurélio Garcia, nesta quinta-feira, 20. Dilma, que disse ter estado com ele há três semanas, chamou-o de "amigo querido".

"Um dia terrível para quem luta por um mundo melhor, com justiça social. Um dia muito, muito triste", disse Dilma, por meio de nota. A petista afirmou ser um "dia de dor para todos nós, que compartilhamos com ele seus muitos sonhos, histórias e lutas".

Marco Aurélio Garcia foi um dos principais formuladores da política externa durante a gestão Dilma Rousseff , ele foi vítima de um ataque cardíaco fulminante. Garcia era professor aposentado do Departamento de História das Universidade de Campinas (UNICAMP).

Confira abaixo a integra da nota da ex-presidente:

Dilma Rousseff: "Meu amigo querido, Marco Aurélio Garcia"

A morte do professor Marco Aurélio Garcia, meu amigo querido, é extremamente dolorosa. Desfrutei pela última vez de sua companhia há três semana. Conversamos sobre a vida e os momentos terríveis que o país atravessa.

Hoje é um dia de dor para todos nós, que compartilhamos com ele seus muitos sonhos, histórias e lutas. Era um amigo querido, de humor fino e contagiante, sempre generoso e cheio de ideias, dono de uma mente arguta e brilhante.

Meus sentimentos ao filho Leon, ao neto adorado Benjamin, aos familiares e todos os seus amigos.

É muito duro saber que não terei mais sua companhia, nem o prazer de ouvir sua poderosa gargalhada.

Um dia terrível para quem luta por um mundo melhor, com justiça social. Um dia muito, muito triste.

Dilma Rousseff

Tudo o que sabemos sobre:
Marco Aurelio GarciaDilma Rousseff

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.