Ueslei Marcelino/Reuters
Ueslei Marcelino/Reuters

Dilma inaugura primeira etapa de obra do PAC na Bahia

Adutora deverá levar água do rio São Francisco para mais de 100 mil pessoas de nove municípios

Rafael Moraes Moura, da Agência Estado

09 de novembro de 2012 | 07h53

BRASÍLIA - Preocupada com os efeitos da seca, a presidente Dilma Rousseff viaja nesta sexta-feira, 9, para Malhada, na Bahia, a cerca de 900 quilômetros de Salvador, para a inauguração da primeira etapa da Adutora do Algodão, obra do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), com investimento de R$ 136 milhões.

 

A adutora deverá levar água do rio São Francisco para mais de 100 mil pessoas de nove municípios - o empreendimento inclui uma estação de tratamento de água, uma estação de tratamento de lodo e seis reservatórios. A estação de tratamento de água tem capacidade para produzir 450 litros por segundo de água tratada.

 

A Prefeitura de Malhada decretou ponto facultativo para que a população acompanhe o evento. Além de Dilma, são esperados o ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, e o governador da Bahia, Jaques Wagner.

 

De acordo com a Companhia de Desenvolvimento dos Vales do São Francisco e Parnaíba, o início da operação da adutora acaba com o racionamento de água de três municípios - Guanambi, Pindaí e Candiba. O governo prevê que a Adutora do Algodão beneficie 300 mil habitantes dentro dos próximos vinte anos.

 

Em entrevista ao último programa de rádio "Café com a Presidenta", Dilma disse que "acompanha de perto" a situação no semiárido do Nordeste e do norte de Minas e que considerava "muito grave" a situação na região por causa dos efeitos da estiagem.

 

"Nessa sexta-feira eu vou lá na Bahia inaugurar a Adutora do Algodão, que vai levar água para 140 mil pessoas. Obras como essas e como as obras da transposição do Rio São Francisco preparam o semiárido para enfrentar em melhores condições as próximas estiagens", disse Dilma no programa. Na ocasião, a presidente anunciou a ampliação da Operação Carro-Pipa e a prorrogação por dois meses dos benefícios do Bolsa Estiagem.

 

A Adutora do Algodão deverá passar por uma segunda etapa, com a instalação de 90 quilômetros de tubulação, sete estações de bombeamento e três reservatórios, a um custo adicional de R$ 55 milhões.

 

Após a cerimônia de inauguração, Dilma viajará para Salvador, onde participará, com governadores do Nordeste, da 16ª Reunião Ordinária do Conselho Deliberativo da Sudene.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilma RousseffadutoraBABahiaPAC

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.