Dilma homenageia colega de luta revolucionária

Em discurso emocionado, na solenidade que homenageou sua colega de luta revolucionária, Inês Etiene Romeu, com a entrega do prêmio Direitos Humanos 2009, a ministra da Casa Civil, Dilma Rousseff, destacou hoje a importância da homenagem como "testemunho da generosidade, da coragem e da dignidade de uma geração". "Quem viveu aquele tempo em que palavra democracia era esquecida, quando não perversamente deturpada, compreende o sentido do resgate e da conservação da memória do que ocorreu no País naquele período", disse Dilma, ao lembrar que foi companheira de Inês, de sonhos e lutas.

ROSANA DE CASSIA E GERUSA MARQUES, Agencia Estado

21 de dezembro de 2009 | 12h56

"Naquela época a opressão deles (militares) e a nossa esperança foram companheiras cotidianas". Dilma lembrou também dos colegas torturados e mortos nas prisões da ditadura e destacou o sofrimento da amiga, que foi sequestrada e submetida à violência, em cárcere privado, e beneficiada anos depois, com a Lei da Anistia.

"Inês, o Brasil te reconhece com este prêmio. Obrigada por tudo", disse Dilma, explicando que a emoção é maior porque o País vive hoje um novo momento de transformação social, política, econômica e sobretudo democrática, alcançados no governo Lula. "O Brasil, hoje, é um Brasil que o seu Estado e os seus recursos estão realmente a serviço da maioria da população", destacou.

Tudo o que sabemos sobre:
Dilmahomenagemdireitos humanos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.