Evaristo SA/AFP
Evaristo SA/AFP

Dilma grava entrevista de 70 minutos com Jô Soares no Alvorada

A conversa entre os dois, gravada na biblioteca do Palácio da Alvorada, será transmitida na madrugada deste sábado, 13, na Rede Globo

Rafael Moraes Moura, O Estado de S. Paulo

12 Junho 2015 | 19h06

Brasília - A presidente Dilma Rousseff gravou na tarde desta sexta-feira, 12, uma entrevista de 70 minutos com o apresentador Jô Soares. A conversa entre os dois, gravada na biblioteca do Palácio da Alvorada, será transmitida na madrugada deste sábado, 13, na Rede Globo.

"A produção do pré-sal é uma realidade. Estamos batendo recorde de novo na produção", disse a presidente, conforme divulgado na conta oficial de Dilma no Instagram, rede social de compartilhamento de imagens.

Além de defender a Petrobrás, Dilma conversou com Jô Soares sobre a situação da saúde no Brasil e os cortes orçamentários na área de educação.

Em um momento, Jô Soares perguntou para a presidente como ela "aguenta" os presidentes da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), que têm imposto uma série de derrotas ao governo no Congresso. Segundo o Broadcast Político apurou, a presidente sorriu ao ouvir a pergunta do apresentador, que chegou a afirmar que "com esses aliados o governo não precisa de oposição".

De acordo com a presidente, os cortes na área de educação preservaram o que era estratégico na pasta. Dilma também fez uma espécie de prestação de contas do mandato, destacou a luta pela democracia e gravou uma breve fala que deverá ser exibida no "Jornal Nacional" desta sexta. O apresentador a presenteou com uma caneca.

Críticas. Jô e a presidente Dilma se encontraram no dia 18 de maio no Palácio do Planalto, depois de o apresentador fazer críticas no programa às manifestações favoráveis ao impeachment da presidente.

A entrevista está marcada para ser transmitida a partir de 0h39 deste sábado, conforme a grade de programação divulgada no site da Rede Globo. 

Mais conteúdo sobre:
Dilma Rousseff Jo Soares governo federal

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.