Dilma ficará em hotel até a chegada de Lula a Seul

A 50 dias de sua posse, a presidente eleita, Dilma Rousseff, fará sua estreia na política externa amanhã e sexta-feira, em Seul, durante a cúpula do G-20, que reúne as maiores economias do mundo. Ela mostrou-se esgotada depois de quase trinta horas de viagem de Brasília à capital sul-coreana - até São Paulo num jato da Força Aérea Brasileira (FAB), mais doze horas até Frankfurt (Alemanha), seis horas de aeroporto e mais dez horas e meia de voo até Seul. Dilma, então, optou por descansar no hotel até a chegada do presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

JOÃO DOMINGO, ENVIADO ESPECIAL, Agência Estado

10 de novembro de 2010 | 14h19

O presidente Lula havia planejado levar Dilma a Seul quando ela ainda era candidata, no momento em que as pesquisas de opinião de voto apontaram o favoritismo da petista na disputa eleitoral, pelo menos 30 dias antes do primeiro turno. O Itamaraty, então, negociou com o governo da Coreia do Sul para que o convite fosse feito a Dilma, o que aconteceu na semana passada. Assim, o Brasil passa a ser o único país dos participantes a contar com cinco delegados, e não apenas quatro.

Lula pretende levá-la para os encontros mais importantes, como o que terá com o presidente francês, Nicolas Sarkozy, para tratar da compra de 36 caças para a FAB. O presidente ficará no mesmo hotel em que Dilma se hospedou, o Imperial Palace, no centro de Seul.

Tudo o que sabemos sobre:
DilmaLulaSeulG-20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.