Dilma faz campanha para candidata do PT em Curitiba

O partido na cidade está coligado ao PHS, PSC, PTC, PRB e PMN

EVANDRO FADEL, Agencia Estado

13 de agosto de 2008 | 18h16

O PT marcou para amanhã, em Curitiba, um jantar com a presença da ministra-chefe da Casa Civil, Dilma Rousseff, liberada pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva para fazer campanha em alguns municípios, entre eles a capital paranaense, onde concorre Gleisi Hoffmann. Apontada como uma das possíveis candidatas à Presidência da República em 2010, a ministra deverá falar aos participantes do evento sobre a conjuntura nacional. O partido na cidade está coligado ao PHS, PSC, PTC, PRB e PMN. "(O jantar) Será dirigido mais a profissionais liberais, empresários, comerciantes, formadores de opinião", disse o coordenador da campanha, André Passos. Com entrada estipulada em R$ 1 mil, expectativa do PT é arrecadar R$ 500 mil no evento. A estimativa de gastos na campanha apresentada pelo partido é de R$ 13 milhões. Na primeira prestação parcial de contas, entregue ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a informação é de que foram arrecadados pouco mais de R$ 1 milhão e gastos pouco mais de R$ 932 mil. André Passos disse que, em razão da legislação eleitoral "felizmente mais rígida", o partido optou por realizar o jantar com valor alto para que as pessoas que faziam contribuições de forma "pingada" possam fazê-lo de uma única vez. Ele espera que a presença da ministra entusiasme contribuintes. "A Dilma tem relações ideológicas e partidárias com a Gleisi, mas também há um estreitamento administrativo."E o PT curitibano não quer perder a oportunidade de engajar a militância e colocá-la nas ruas tendo à frente uma personalidade nacional. Por isso, na manhã de sábado está prevista uma caminhada de Dilma pelas ruas da cidade, com provável discurso no local conhecido como Boca Maldita. "Ela está inaugurando os apoios nacionais por Curitiba", afirmou o coordenador da campanha. A presença de Dilma foi articulada pelo ministro do Planejamento, Orçamento e Gestão, Paulo Bernardo, marido de Gleisi. Mas não será apenas o PT a organizar jantares com convite a R$ 1 mil. O PSDB, coligado a PP, PSL, PDT, DEM, PSB, PPS, PR, PSDC, PRP e PTN em torno da candidatura de Beto Richa, planeja para 9 de setembro um evento semelhante, com a presença do governador de Minas Gerais, Aécio Neves (PSDB). A intenção é arrecadar R$ 1 milhão. O partido também tenta agendar uma data para que o governador de São Paulo, José Serra (PSDB), desfile com Richa em Curitiba. Fábio Camargo (PTB/PRTB), Carlos Moreira (PMDB), Maurício Furtado (PV), Ricardo Gomyde (PCdoB), Lauro Rodrigues (PTdoB) e Bruno Meirinho (PSOL/PCB/PSTU) também concorrem à prefeitura.

Tudo o que sabemos sobre:
eleiçõesPRCuritiba

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.