Dilma evita tema sobre tamanho do Estado em programa

Depois de duas versões e um vaivém de propostas, o programa de governo que Dilma Rousseff (PT) divulgará na próxima semana manteve o mote de um novo projeto nacional de desenvolvimento, mas a abordagem sobre o tamanho do Estado foi polido para evitar mais polêmica. Todo o esforço da campanha agora é para afastar rumores de que, se eleita, ela defenderia a reestatização de empresas privatizadas no governo Fernando Henrique Cardoso (1995-2002).

AE, Agência Estado

12 de agosto de 2010 | 10h33

Na tentativa de impedir a ampliação desses comentários - atribuídos pelo PT ao comitê de José Serra (PSDB) -, o comando da campanha de Dilma não vai se alongar na discussão sobre Estado máximo e mínimo. "Vocês me desculpem, mas essa é uma discussão um pouquinho atrasada, não é?", costuma dizer Dilma.

A ideia é destacar logo na introdução que a crise financeira mundial demonstrou a necessidade do fortalecimento dos bancos públicos e das políticas de crédito para o setor produtivo. O enfoque será na produção e no desenvolvimento, sem dar margem a controvérsias sobre qualquer viés estatizante. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.