Dilma evita falar sobre reeleição e Lula em 2014

A candidata do PT à Presidência da República, Dilma Rousseff, disse hoje que, se eleita, somente em 2013 decidirá se vai se candidatar à reeleição em 2014 ou se pretende ceder a vaga para que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva volte a disputar o cargo. "Quando chegar a hora, a gente discute o assunto", afirmou, em entrevista a jornalistas após participar de almoço e debate com integrantes do Grupo de Líderes Empresariais (Lide), em São Paulo. "Talvez em 2013 seja a hora de perguntar", afirmou, concordando com a avaliação do presidente do Lide, João Dória Junior, segundo a qual a resposta de Dilma era de "cunho mineiro".

ANNE WARTH, Agência Estado

05 Julho 2010 | 17h17

Dilma disse ser contra a alteração, para cinco anos, do mandato presidencial, mas afirmou ser favorável à reeleição. "Eu acho que não é bom ficar mudando mandato no meio do jogo. Deixa ser de quatro anos que está bom", opinou. "Sou a favor da reeleição. Antes, achava melhor não ter", disse a ex-ministra-chefe da Casa Civil. Para ela, dois mandatos consecutivos deram bom resultado no caso do governo Lula. De acordo com Dilma, o primeiro mandato serviu para estabelecer o equilíbrio macroeconômico e preparar as bases do grande crescimento do segundo mandato.

A candidata evitou fazer uma avaliação sobre seu posicionamento nas mais recentes pesquisas eleitorais, que apontam empate técnico com seu principal adversário, o candidato do PSDB, José Serra. "Houve, da nossa parte, da candidatura que eu represento, uma evolução visível, não vou negar", afirmou. "Isso se deve ao fato de que cada vez mais minha candidatura é conhecida."

Dilma avaliou ainda que o orçamento do PT para sua campanha presidencial, de R$ 157 milhões, "não é muito nem pouco". "É o que se gasta, né?", disse. "Nós não queremos inventar o que não foi gasto nem fazer nenhum subterfúgio. Acho que o que nós colocamos é o que é."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.