Dilma: Estatal não dava prioridade para comprar no País

A presidente Dilma Rousseff repetiu na tarde desta segunda-feira que a Petrobras não dava prioridade para "comprar o que podia ser comprado no Brasil". "Foi com uma decisão que nós mudamos: vamos produzir no Brasil, porque o País tem condições", reiterou a presidente em evento em Serra Talhada (PE), repetindo declarações ditas no período da manhã, no Estaleiro Atlântico Sul, em Ipojuca (PE). "O Brasil tem trabalhadores competentes que podem produzir, empresários que podem se organizar e produzir", disse Dilma.

BEATRIZ BULLA E GABRIELA LARA, Agência Estado

14 de abril de 2014 | 20h01

Ela lembrou que o País já foi o segundo maior polo naval do mundo, na década de 1980. "Diziam que nós não tínhamos competência para fazer isso, que o povo brasileiro não seria capaz de construir um casco de navio. Não só é capaz de construir um casco como ele faz um navio inteiro", afirmou a presidente, dizendo que ficou "muito alegre" na manhã desta segunda-feira ao participar da cerimônia de viagem inaugural do navio petroleiro Dragão do Mar e batismo do navio Henrique Dias. "Lá estava a prova de que nós somos capazes, sim", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.